2 # Carta para a tua paixão

ODEIO-TE. Não tenho outra palavra para definir o que sinto por ti. Odeio a tua maneira de ser, odeio quando me dás desprezo, odeio quando não me falas, odeio quando és interesseiro, quando me consideras segunda opção, odeio o facto de (ainda) te amar, de me fazeres querer-te tanto. Nem sei como ainda há pelo menos uma parte de mim que pensa constantemente em ti, que te dá tanta importância ou que não consegue esquecer nada. Mudas-te tanto, acho que toda a gente reparou nisso. Mudas-te para o que nunca quis que fosses e acredita que sempre quis o teu bem. Mas não percebo o "porquê" disso, o porquê de te teres tornado naquela pessoa que não quero ver, falar ou pensar. Não quero, mas simplesmente, preciso de o fazer. Porque lá no fundo sempre foste tu que me fizeste feliz, era só de ti que precisava, era só aquele conforto e aquele à vontade de poder ser eu própria quando estava contigo que eu queria. Depois de teres entrado na minha vida eu mudei tanto, eu própria me apercebo disso. Do impacto que tiveste nela, do quanto me mudaste, do quanto me fizeste crescer. E sim, tudo o que fiz foi por ti e para ti.

I still love you

1 comentário: